quarta-feira, 1 de novembro de 2017

95 teses para o evangelicalismo brasileiro? (cópia)

95 teses para o evangelicalismo brasileiro?

"Após ler este artigo do pastor Ciro Sanches Zibordi, que admiro como pessoa e pregador do evangelho, resolvi compartilhar no meu blog." 

O artigo diz:

Há um texto sem autoria, que ora se espalha pelas redes sociais, denominado ‘95 teses para serem fixadas na porta do Evangelicalismo Brasileiro’. Gostei da iniciativa. Mas, sinceramente, quero fazer sucintos comentários sobre algumas das tais ‘teses’, já que elas devem estar sendo fixadas nos murais de algumas igrejas, inclusive pentecostais, ou retransmitidas via aplicativo de mensagens.
1. Rodar e cair não é manifestação do Espírito Santo.
Concordo, pois sou crítico de certos “moveres”, como “cair no Espírito” e “unção do riso”. Por outro lado, na presença do Espírito Santo, há alegria e movimento, e não inércia (cf. At 2; 4; 10; 19).
2. Falar em línguas não é evidência de Espírito Santo.
Há línguas e ‘linguas’. As genuinamente produzidas pelo Espírito são sobrenaturais e — evidentemente — uma evidência da presença do Espírito Santo. Mas as falsas línguas, resultantes de carnalidade, geralmente pronunciadas depois que algum pregador diz: ‘Onde estão os pentecostais? Eu quero ouvir uma rajada de línguas estranhas’, estas sim depõem contra o pentecostalismo.
3. Não existem mais levitas.
Concordo. E escrevi sobre isso em meu livro ‘Erros que os Adoradores Devem Evitar’ (CPAD, 2010).
4. Teologia da prosperidade não é evangelho.
Verdade.
5. Dízimo obrigatório não está em vigor na graça.
Dízimo não é obrigatório, pois toda e qualquer contribuição é voluntária, mas ele está em vigor, sim, já que, à luz do Novo Testamento, pode ser considerado uma prática atemporal, que nada tem que ver com salvação. Boas obras não salvam, mas Deus nos salvou exclusivamente pela graça para andarmos em boas obras (Ef 2.8-10).
6. Devorador não é um demônio.
Certo.
7. Mulher não pode ser pastora.
Poder, pode. Mas deve? Será que Deus chamou mesmo as mulheres para serem pastoras? Isso gera muito debate, mas vejo que o movimento feminista tem feito muita gente dar um jeitinho para agradar as mulheres. Como o assunto é difícil para ser tratado neste texto, que já está longo demais, vou recomendar ao leitor um excelente livro sobre o assunto: 'Homens, Mulheres e Autoridade', editado por Brian Edwards, São Paulo: PES, 2007.
8. Campanhas e propósitos são barganha com Deus.
Concordo plenamente.
9. Você não escolhe Cristo.
De fato, a iniciativa vem de Deus, e a salvação é realizada cem por cento pela graça de Deus. Entretanto, ela só se concretiza na vida de quem recebe a Cristo como seu Senhor e Salvador (Jo 3.16; Rm 10.9,10). Não se deve confundir expiação com redenção. A expiação é do pecado adâmico (Jo 1.29); a redenção diz respeito ao pecado de cada pecador, a qual se concretiza quando o pecador crê no Senhor e se arrepende de seus pecados, auxiliado, evidentemente, pela graça de Deus que vem antes, prevenientemente.
10. Não existem mais apóstolos.
Penso que o ministério apostólico continuará ‘até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus’, assim como todos os outros mencionados em Efésios 4.13. Os doze, evidentemente, são um grupo seleto, que inclusive será lembrado no Céu. Mas apóstolos — não títulos, e sim ministérios — não cessaram. Caso contrário, teríamos de admitir que os outros dons ministeriais mencionados em 1 Coríntios 12.28 e Efésios 4.11 também cessaram. Em meu novo livro trato dessa questão.
11. Cristo é o fim da lei.
Verdade.
12. Oração no monte tem o mesmo efeito do quarto.
Concordo. Mas eu prefiro orar no quarto.
13. Arrebatamento será depois da tribulação.
Nem todos os evangélicos são pós-tribulacionistas. Os pentecostais, como este articulista, creem piamente que Jesus arrebatará a sua Igreja antes da Grande Tribulação, pois há muitas evidências bíblicas quanto a isso. Recomendo, modéstia à parte, a leitura do meu livro ‘Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar’ (CPAD, 2012).
14. Estudem as Escrituras linearmente.
Não só linearmente. Há que estudá-las levando-se em consideração o fato de elas serem a Palavra de Deus infalível e inerrante, respeitando os seus contextos literário, histórico, cultural etc.
15. Grupo de dança não é ministério.
Concordo.
16. Pregação somente pela Palavra.
De acordo.
17. Exposição somente das Escrituras.
Verdade.
18. Seu pastor não é mais importante que o membro.
Não é. Mas isso não quer dizer que não exista hierarquia na Igreja. Existe, sim, como vemos claramente em 1 Coríntios 12.28, Atos 15 etc. Deus pôs líderes nas igrejas para que haja ordem, e para que eles levem o seu povo a adorá-lo e obedecer-lhe em tudo (cf. Ap 2-3).
19. Objetos ungidos é feitiçaria (sic).
Nem sempre podemos chamar isso de feitiçaria, mas não se trata de uma prática condizente com o evangelicalismo verdadeiramente bíblico.
20. Misticismo não é evangelho.
Perfeito.
21. Devemos julgar segundo a reta justiça.
As palavras de Jesus sobre isso estão em João 7.24.
22. Gritar ‘aleluia’ no culto mais alto que os outros não comove Deus.
Não o comove, mesmo. Mas há momentos no culto em que podemos glorificar a Deus em voz alta. O que não devemos é fazer isso fora de hora, por exemplo, enquanto a Palavra de Deus está sendo exposta. O texto de 1 Coríntios 14 nos ensina como deve ser o culto genuinamente pentecostal.
23. Satanás não está no inferno.
Isso também é verdadeiro, pois o Inimigo é o príncipe das potestades do ar e habita as regiões celestiais (Ef 2.1,2; 6.10-18).
24. Deus não precisa do seu dinheiro. 
Certo. Mas o cristão que se preza contribui com amor para a obra do Senhor (2 Co 9).
25. Davi dançou em uma procissão da arca, e não em um culto.
Verdade. Ele, inclusive, ao instituir o ministério do louvor, nos tempos veterotestamentários, não chamou dançarinos e coreógrafos, e sim músicos e cantores.
26. Não precisa olhar para o irmão do lado e dizer: ‘Jesus te ama’.
Concordo. Tenho escrito sobre isso em meus livros, especialmente ‘Erros que os Pregadores Devem Evitar’ (CPAD, 2005).
27. Arminianismo limita a soberania de Deus.
O verdadeiro arminianismo, não. Não confunda arminianismo com semipelagianismo ou pelagianismo! Mas é importante dizer que o Evangelho está acima de arminianismo e calvinismo.
28. Batismo com fogo é condenação.
Discordo, pois o fogo também ilustra o poder do Espírito Santo. A explicação da pregação de João Batista, em Mateus 3 e Lucas 3, seria muito longa, para inseri-la aqui. Peço aos leitores que aguardem meu próximo livro, no qual tratarei do batismo com o Espírito Santo e com fogo.
29. Deus odeia o pecado e também o pecador.
Deus não odeia o pecador! Deus é amor. Há certas passagens isoladas que podem sugerir que Ele odeie o pecador, mas, se bem estudadas, à luz da analogia geral da Bíblia, não ficará dúvida de que o Senhor não deseja condenar o ímpio. Sua ira justa contra o pecado não deve ser confundida com ódio justiceiro contra o pecador.
30. Deus salva a quem quer.
Na verdade, Ele quer que todos se salvem (1 Tm 2.4), e o Senhor Jesus provou a morte por toda a humanidade (Hb 2.9). Mas a salvação só se concretiza na vida de quem crê no Senhor Jesus e se arrepende de seus pecados. Como já disse, não se deve confundir expiação do pecado adâmico (Jo 1.29) com a redenção de cada pecador (Jo 3.16; Rm 10.9,10). Jesus morreu por todos, para que cada pecador possa ser salvo, desde que aceite — sim, aceite —, mediante o livre-arbítrio, o plano salvífico de Deus.
31. Jesus é o mediador, e não seu líder (sic).
Concordo. Mas o líder deve ser respeitado pelo cristão que se preza.
32. Não precisamos de revelação, a Bíblia já está revelada.
De fato, a Bíblia é uma revelação superior, mas, por meio dos dons espirituais, o Senhor revela hoje, aqui e agora, o profundo e o escondido.
33. Salvação não é uma vacina.
Se é que entendi, concordo.
34. A salvação é pela graça, e por ela somente.
Perfeito.
35. Não existe maldição hereditária.
Certo.
36. Preguem sobre o pecado e o inferno.
Correto.
37. Não existe mais sacrifício, Cristo foi o suficiente.
Verdade, falando de salvação. Mas a vida cristã envolve renúncia e sofrimento (Lc 9.23; 1 Pe 2.20,21).
38. Paulo não caiu do cavalo.
A Bíblia realmente não diz isso. Mas não acredito que ele estivesse indo a pé para seu destino.
39. No mínimo uma hora de palavra.
Gostaria que a exposição da Palavra tivesse em torno de uma hora. Mas isso não é mandamento bíblico e varia muito nas igrejas. O importante é que a Palavra de Deus tenha o primado. Dois terços do ministério do Senhor Jesus foram destinados ao ensino e a pregação da Palavra.
40. Leia livros reformados.

De fato, há excelentes livros de autores reformados (que, aqui, é sinônimo de calvinistas). Mas também há obras igualmente maravilhosas de pentecostais, haja vista as centenas publicadas pela CPAD e outras editoras.

41. Ore incessantemente.
Amém.
42. Deus não é obrigado a lhe abençoar (sic).
Não, mesmo. Mas Ele tem prazer em abençoar os fiéis.
43. Deus também é glorificado na angústia.
Verdade. Ele nos livra muitas vezes da angústia, mas também nos livra na — ou através da — angústia. Há muitos salmos bíblicos que tratam disso.
44. Deus está em silêncio porque sua Bíblia está fechada.
Verdade. O Senhor fala conosco quando lemos a sua Palavra.
45. Financeiro baixo não é obra de satanás.
Concordo. Mas financeiro alto também não. O problema é colocar o coração nas riquezas (Mt 6.19-21).
46. Estudem sobre a Reforma.
Estudem, mesmo, pois a Reforma Protestante foi o maior movimento da Igreja, depois do Pentecostes.
47. Satanás não era anjo de luz.
Ele era um ser perfeito que caiu e enganou a terça parte dos anjos (cf. Ap 12). Creio que os textos de Isaías 14 e Ezequiel 28, ainda que por analogia, se refiram a Lúcifer (nome latino).
48. Internet não é coisa do diabo.
Verdade. Mas tem sido usada pelos seus adeptos, assim como pode ser usada pelo povo de Deus.
49. Questione o falso ensino.
Isso, mesmo.
50. Deixar a Bíblia aberta em Salmos não resolve nada.
Bíblia não é amuleto da sorte, mas deve ser lida e estudada.
51. Ouça Paul Washer, John Piper etc.
São respeitáveis expoentes calvinistas. Mas há também bons pregadores pentecostais, que creem na atualidade dos dons espirituais.
52. Jesus não ofereceu riquezas.
Certo.
53. Quer prosperidade, acorde cedo e trabalhe.
Concordo.
54. Só comece a namorar se for casar.
Verdade. Para que namorar por namorar, sem o objetivo do casamento?
55. Procure uma igreja mais próxima de sua Bíblia.
Certo.
56. Apelo emocional não é evangelismo.
Certo. Mas pregação também envolve emoção, ainda que o mais importante seja a ação do Espírito Santo (1 Co 2.1-5; 1 Ts 1.5).
57. Neopentecostalismo não é evangelho.
Nem pentecostalismo; nem calvinismo etc. Evangelho está acima de tudo e de todos.
58. Crianças têm pecado.
Todos nascem pecadores (Rm 3.23). Mas, evidentemente, uma criança que parte para a eternidade sem que suas faculdades tenham amadurecido o suficiente para crer e se arrepender será alcançada pela graça preveniente de Deus e pela expiação do pecado adâmico.
59. Não temos livre-arbítrio.
Temos, sim! Deus não fez seres autômatos. Apesar dos efeitos deletérios do pecado, o ser humano continua podendo escolher entre o caminho da vida e o da morte (Dt 30.19; Lc 9.23; Ap 22.17).
60. Não cobrem para pregar.
Certo.
61. Seu pastor não é ungido.
Não, literalmente. Mas o pastor verdadeiramente chamado por Deus recebe dEle uma capacitação especial para conduzir o rebanho.
62. Sua esposa não é varoa.
É, sim, pois do varão foi tomada. Se o termo, hoje, não é usual, isso é outra coisa.
63. Sabor de mel e raridade não é louvor (sic).
Certo.
64. Não ponha somente a culpa no diabo.
Verdade. A carne é o nosso pior inimigo e está dentro de nós.
65. Na ‘mira da verdade’ não prega a verdade.
Concordo. O autor destas 95 'teses' se refere a um programa de TV adventista.
66. Não é só sua Igreja que vai ser arrebatada.
Todos os salvos em Cristo hão de ser arrebatados, antes da Grande Tribulação (1 Ts 4.16,17). E não foi Darby quem inventou isso, no século XIX. Sistematizar uma doutrina não é o mesmo que criá-la, já que a doutrina é bíblica. A doutrina da Trindade só foi sistematizada no século III, mas ela sempre foi bíblica.
67. Agenor Duque não é João Batista.
Com certeza, não!
68. Deus não se agrada de campanhas.
Certo.
69. Retiros e intimidade com Deus, e não lazer.
O lazer também é importante, no momento certo.
70. Não leia versículos isolados.
Não é pecado ler versículos isolados. O que não se deve fazer é interpretá-los isoladamente, fora de seu contexto.
71. Judas não escolheu trair Jesus, já estava predestinado.
Escolheu, sim, pois ele se desviou (At 1.25; Jo 17.12).
72. Cristo deve ser a única atração do pecador.
Verdade.
73. Encontro tremendo, somente com a verdade das Escrituras.
Concordo.
74. Não existe culto de libertação na Bíblia.
Certo. Não há necessidade de haver um culto específico para libertação, embora o problema, em si, não esteja no nome do culto, e sim nas aberrações que ora acontecem nessas reuniões ditas de libertação.
75. Preguem sobre a graça.
E sobre a misericórdia, a expiação pelo sangue, a redenção, a santificação, o Arrebatamento da Igreja etc., também.
76. Nem todos são filhos de Deus.
Verdade. É necessário entregar a vida a Cristo, crendo e se arrependendo, para ser um filho de Deus por adoção (Jo 1.11,12; Gl 4.4,5).
77. Televisão deixa o cristão frio.
David Wilkerson falou sobre isso em seu excelente livro ‘Toca a Trombeta em Sião’, publicado pela CPAD na década de 1980. Use com moderação.
78. Copo de água na TV é pura baboseira (sic).
Certo. É preciso confiar em Jesus Cristo.
79. Seu pastor não determina nada.
Se for um homem de Deus, de fato, deve ser respeitado.
80. Deus não é só amor.
Verdade. Mas Ele é amor. E, por isso mesmo, não odeia o pecador.
81. Não somos a universal.
Mas o crente fiel pertence à Universal Assembleia.
82. Nunca dê ouvido a alguém que diz: ‘Deus mandou te dizer’.
Há profetas de Deus e falsos profetas. Generalizações, nesse sentido, são perigosas.
83. Um salvo não perde a salvação.
Deus não tem prazer em tirar a salvação de ninguém. Mas há pessoas que, à semelhança de Esaú, que desprezou sua primogenitura, desprezam a sua salvação. É preciso estudar com muito cuidado Hebreus 3; 6; 10. E também 2 Pedro 2 e Apocalipse 3.
84. Cair no espírito é puro êxtase.
Certo. Voltamos à primeira 'tese'...
85. O ladrão da cruz entrou no céu, sim.
Jesus lhe disse: ‘Hoje estarás comigo no Paraíso’ (Lc 23.33-43). Mas essa passagem precisa ser estudada com muita diligência. Recomendo, modéstia à parte, de novo, minha obra ‘Erros Escatológicos que os Pregadores Devem Evitar’ (CPAD, 2012).
86. Dom de línguas eram idiomas.
Em Atos 2, foram idiomas, mas outorgados pelo Espírito Santo aos salvos em Cristo. À luz de 1 Coríntios 12-14, as línguas dadas sobrenaturalmente pelo Espírito Santo têm várias finalidades. Não devemos desprezar esse dom.
87. Visitar outras igrejas não é errado.
Certo. Mas é preciso conversar com o pastor sobre isso.
88. Deus não sonha.
Ele não dorme, evidentemente. Do ponto de vista do uso atual do verbo “sonhar”, no sentido de desejar, aspirar, é claro que Ele tem bons desejos e quer, por exemplo, ‘que todos se salvem, e venham ao conhecimento da verdade’ (1 Tm 2.4).
89. Deus não precisa da sua autorização para agir.
Verdade. Ele é soberano. Por outro lado, Ele está à porta e bate (Ap 3.20), pois não criou seres autômatos, programados para obedecer-lhe em tudo.
90. Seja cristão em casa.
E em todos os lugares, inclusive no templo.
91. Sua mulher não é sua empregada.
Mas também não é a patroa... Ou é? Risos.
92. Ame ela como Cristo amou a igreja (sic).
Amém.
93. Não existe: ‘eis que eu te digo’.
Há muitas ‘teses’ repetidas... Faltou inspiração ao autor.
94. O mercenário é quem rouba, mata e destrói.
Mas quem está por trás dele é o Diabo, que vem, sim, para roubar, matar e destruir, à luz de João 10.
95. Glória Somente a Deus.

Amém.

Em Cristo,
Ciro Sanches Zibordi
Fonte: CPAD News

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Jesus...


O caminho, a verdade e a vida.

Bíblia Sagrada