sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Amor, só de mãe!




Amor, só de mãe!
Pode uma mulher esquecer-se tanto do filho que cria, que se não compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, me não esquecerei de ti (Isaías 49.15).

É comum ouvir pessoas dizendo: “Amor, só de mãe”. Embora isso seja uma grande verdade, vivemos dias em que mães abandonam recém-nascidos. Além disso, pais e filhos não se entendem; há um conflito de gerações. E, como a sociedade é formada por famílias, a cada dia aumenta a violência, a imoralidade e outros males.

Muitas dessas famílias possuem em casa um exemplar da Bíblia. Apesar disso, os pais jamais tiveram tempo para lê-la com os seus filhos. Talvez seja esse o seu caso, prezado amigo. E, por isso mesmo, ainda não tenha descoberto nesse glorioso Livro — inspirado por Deus — que existe um amor maior que o de mãe!

O amor divino transcende o amor de pai e mãe. Ainda que você se sinta abandonado por todos os seus entes queridos, se confiar no Pai celestial, poderá dizer: “...
quando meu pai e minha mãe me desampararem, o SENHOR me recolherá” (Salmos 27.10).

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.16).
Quais são as características do maior amor, o de Deus:

 • Voluntário. “Deus amou”. Foi um ato espontâneo, sem que a humanidade fizesse algo para merecê-lo. Afinal, segundo a Palavra de Deus, todos os homens são pecadores por natureza (Romanos 3.23; 5.12; 11.32).
Universal. Ele amou “o mundo”; toda a humanidade foi amada por Jesus Cristo, que por ela derramou o seu precioso sangue (Romanos 5.8).
Imensurável. Ele amou “de tal maneira”. É impossível definir a grandeza desse amor.
Provado. Deus “deu o seu Filho unigênito”. Amor só de palavras sequer pode ser chamado de amor. Mas o Todo-Poderoso provou que nos ama de verdade ao enviar o que tinha de melhor, o seu próprio Filho.

O que fazer para ser alcançado pelo amor divino? A Palavra de Deus responde: “... para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. É preciso crer, que aqui implica confiar. E confiança envolve entrega:

Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará (Sl 37.5).

Caro amigo, entregue agora mesmo a sua vida ao amoroso Jesus. Ore assim:
Pai amoroso, arrependo-me dos meus pecados e confesso que o seu Filho Jesus Cristo é, a partir de agora, o meu Senhor e Salvador, que por mim morreu, a fim de que eu tenha a certeza da vida eterna. Amém.

Que o seu coração seja agora mesmo inundado pelo amor de Deus!
          

Fonte: CPAD 

Jesus...


O caminho, a verdade e a vida.

Bíblia Sagrada